imagem_romance_cópia.jpeg

Na sequência de uma pesquisa em como criar dispositivos cénicos inclusivos da presença do espetador, em ROMANCE o dispositivo passa pela ação de pedir diretamente para dizer. Este pedido ou comando torna-se simultaneamente um ponto de relação entre o espectador e o performer e também um dispositivo de diálogo entre os vários espectadores. Vozes e perspectivas plurais são assim incluídas num texto que reflete sobre a falência do discurso vigente da classe média no mundo ocidental.

Concepção/ Texto/ Interpretação Lígia Soares Música Mariana Ricardo Apoio à Dramaturgia Miguel Castro Caldas Design Gráfico Filipe Pinto Fotografia Daniel Pinheiro Figurino Tânia Afonso e Lígia Soares Produção Máquina Agradável Apoio Mala Voadora, Teatro Praga, Primeiros Sintomas Financiado por Dgartes- Ministério da Cultura

Diz que me emprestas dinheiro se eu não arranjar trabalho. Diz que acreditas que depois te pago se arranjar. Diz que não me deixas a viver na rua assim vestido. Diz-me que não estamos aqui a viver a típica situação de uma pequena burguesia de esquerda a empatizar com os pobrezinhos. Diz-me que não estamos! Diz! Não Negues que estás!  (in Romance)

PEÇA PUBLICADA PELA DOUDA CORREIRA EM 2016