QUE FOI JÁ ERA O QUE VIER SERÁ seguido de TAMBÉM PASSARÁ

SOPRO FINO EM PEDRA DURA seguido de VENTANIAS DE OUTONO

L1080451.jpg

Dada a presente circunstância que caracteriza a nova geração de criadores – excesso de criatividade e voluntária necessidade de concretização versus possibilidades limitadas de concretização por motivos logísticos – as duas autoras, após diversas discussões de si para si e entre si, depararam-se com a impossibilidade de escolher apenas uma de duas ideias que cada uma vinha a desenvolver e decidem associar-se e partilhar o mesmo espaço de trabalho. 

Estes espectáculos não pretendem ter uma linguagem contemporânea no sentido em que os materiais e linguagem utilizados são tão antigos como o ser, o estar, o agir, o pensar, o falar e o representar- recorrendo mesmo a formas clássicas e arcaicas como a tragédia, a novela, o recital, o monólogo, o ballet, o teatro físico, a linguagem gestual, o contact-improvisation, a dança moderna, a luta livre e a ginástica. Eles são contudo contemporâneos entre si- sendo que são duas criações apresentadas no mesmo tempo e no mesmo espaço- propondo-se desta forma devolver à palavra contemporaneidade o seu sentido concreto.

CONCEPÇÃO|TEXTOS|INTERPRETAÇÃO Andresa Soares e Lígia Soares MÚSICA João Lucas FIGURINO ANDRESA João Paulo Assunção FIGURINO LÍGIA Tânia Franco

DESENHO DE LUZ Gonçalo Ventura Ribeiro

APOIO Fundação Calouste Gulbenkian