la famiglia 3.jpg

LA FAMIGLIA propõe envolver todos os intervenientes numa grande intriga e parodiar sobre as insondáveis motivações que levam cada indivíduo ora a actuar, ora a sentar-se num  teatro à espera de algo extraordinário. O redesenhar de um mundo possível num trajecto mensurável em duração e limitado pelas fronteiras de um palco, torna-se aqui o próprio argumento do projecto.

Poder-se-ia afirmar que nesta peça a ficção reside somente no facto de fazer o público acreditar que este é imprescindível. Já que este é mesmo imprescindível, mas também não o é porque, até à chegada desse precioso momento em que está sentado frente a um espectáculo, ele foi sempre e não mais do que uma abstracção, uma convenção ou uma espécie de alter-ego da actividade artística. Alguma entidade mais ou menos próxima, como um pai ou uma avó, ou mais o menos afastada, como um primo emigrado mas, sem dúvida, um relativo que nós é familiar, a quem a obra também pertence e a quem ora nos dedicamos ou de quem nos emancipamos.

…um comentário (a)político à (in)evitabilidade da criação artística e uma proposta de renovação das suas motivações.

Concepção|Direcção: Lígia Soares

Criação|interpretação: Andresa Soares, Hugo Amaro, Joana Gusmão, Lígia Soares, Pedro Inês/Nuno Lucas e João Lucas Composição musical e sonora: João Lucas  Assistência: Marta Brito  Realização e edição vídeo: Maria Carita Registo Vídeo| Edição:  Rita Barbosa Produção: Máquina Agradável Co-produção: Guimarães 2012- Capital Europeia da Cultura

Apoios: ACCCA, DemiMonde, TerraTreme Filmes, Teatro Nacional São João