máquina_de_lavar_à_janela.jpg

Um homem e uma mulher entram em cena e aproximam-se um do outro dispondo-se com cuidado e técnica numa pose romântica que se estende a toda a duração do espetáculo.

Com o intuito de criar uma metáforaem torno dos contos de fadas que povoam o imaginário de todos nós, Lígia Soares apresenta Cinderela. Uma peça de teatro que se assume como um diálogo sobre o amor romântico que, na resistência à mudança de posição, revela uma analogia à imobilidade social.

Os atores Crista Alfaiate e Cláudio da Silva representam em palco uma Cinderela e um príncipe dos tempos modernos, um casal atingido por um conflito latente, decorrente das assimetrias dos seus estratos sociais.

PEÇA PUBLICADA PELA DOUDA CORREIRA EM 2018

Direção e Texto Lígia Soares Cocriação e Interpretação Cláudio da Silva e Crista Alfaiate Música e apoio à dramaturgia Mariana Ricardo Cenário Henrique Ralheta Luz Rui Monteiro Assistência De Ensaios Mia Tomé Produção Máquina Agradável

 

Coprodução Teatro Municipal São Luiz, Teatro Municipal Do Porto- Rivoli, Teatro Aveirense E Teatro Viriato Apoio O Espaço Do Tempo, Companhia Olga Roriz E Polo Cultural Das Gaivotas (Cml)